Curiosidades sobre a culinária Japonesa
Artigos

Curiosidades sobre a Culinária Japonesa

Deve ter reparado que os restaurantes japoneses estão a aparecer cada vez com mais frequência à sua volta. Há alguns anos, a comida japonesa parecia um luxo longe da realidade de muitas pessoas, mas hoje pode ser encontrada em muitas esquinas de rua por todo o país. Veja abaixo algumas curiosidades sobre a culinária japonesa.

Os restaurantes de comida japonesa multiplicaram-se tão rapidamente que muitos de nós nem sequer tivemos tempo de conhecer as peculiaridades desta cozinha muito diferente.

Então, veja estas trivialidades que provavelmente não conhecia sobre a comida japonesa!

Porque é que a comida japonesa se tornou tão popular?

Não há como negar que a comida japonesa se tornou mais popular, mas porque é que isto aconteceu?

Uma das explicações para o aumento da procura de comida japonesa tem a ver com o fato de termos começado a ter um pouco mais de cuidado com a nossa dieta.

Uma vez que a cozinha japonesa depende fortemente de carnes brancas e ingredientes naturais, leves e de baixas calorias, as opções da cozinha oriental chamaram gradualmente a atenção de pessoas que não queriam comer refeições demasiado pesadas.

Além disso, a experiência gastronômica com a cozinha japonesa é bastante diferente da nossa cultura, o que fez da ida a um restaurante com comida japonesa um programa diferente para fazer com os amigos ou a família.

Vantagens da cozinha japonesa

Para além de ser delicioso, também pode ser bom para si!

Culinária Japonesa

Curiosidades sobre a culinária japonesa

Há ainda muitas coisas que os brasileiros não sabem sobre a comida japonesa e os seus hábitos. Sabe de onde vem um dos principais ingredientes da cozinha japonesa? Sabe que hábitos são considerados “rudes” pelos orientais? Descubra abaixo algumas das curiosidades mais desconhecidas.

O salmão não foi introduzido nesta cozinha até ao século XX.

O sushi de salmão, que é agora uma marca registada no menu japonês, não existia sequer nos pratos de jantar japoneses há muitos séculos. Isto porque os japoneses pensavam que o salmão tinha demasiados parasitas.

Também pensavam que o salmão era demasiado escorregadio para comer cru com hashi (os “pauzinhos” que os japoneses usam para comer). Foram os noruegueses que introduziram os japoneses à ideia de fazer sushi de salmão.

Investiram muito: em meados da década de 1980, os noruegueses passaram vários anos a estudar formas subtis de incluir o ingrediente no menu japonês. No entanto, após a sua aceitação, o sushi de salmão tornou-se uma iguaria apreciada em todos os cantos da terra do sol nascente.

Feito para ser comido com as mãos

Poucas pessoas sabem disto, mas nos restaurantes típicos japoneses é comum distribuir pequenas toalhas molhadas (conhecidas como oshibori). Qual é o objetivo? Para os clientes limparem as suas mãos depois de manusearem diferentes tipos de sushi.

O sushi de salmão, por exemplo, é melhor comido com as mãos porque se quiser mergulhá-lo no molho, tem de o virar para que a carne, e não o arroz, seja mergulhada nele. E fazer isso com um haxixe é um pouco complicado.

Não há problema em fazer barulho.

No Brasil, estamos habituados a julgar as pessoas que fazem barulho enquanto comem macarrão ou sopa como sendo rudes. Na tradição japonesa, é perfeitamente aceitável fazer aquele barulhinho enquanto se come sopa.

Uma vez que o Japão é mais frio que o Brasil, a comida quente japonesa tem a dupla função de nutrir e aquecer o corpo. Isto significa que soprar sobre comida quente diminui o potencial para o manter quente. Portanto, as sopas e o macarrão devem ser consumidos rapidamente, o que provoca um inevitável estrondo.

Pratos modificados

É muito comum que a cozinha de um país seja adaptada aos hábitos e costumes alimentares de outro. A comida japonesa não é diferente.

Não é um exclusivo brasileiro: o Philadelphia temaki, por exemplo, que aqui é normalmente feito com salmão, cebolinho e queijo fresco, foi criado nos Estados Unidos com o mesmo objetivo de o tornar atraente para o paladar dos habitantes locais.

É tudo sushi?

Alguma vez foi confundido por pessoas que se referem a vários artigos diferentes como sushi? Não está sozinho. A primeira impressão que temos da comida japonesa é que mesmo coisas diferentes são chamadas sushi. Mas na realidade, sushi é o nome da técnica utilizada para servir e preservar o peixe cru.

É comum que o arroz cozido e temperado com vinagre seja armazenado com o peixe, o que assegura que ambos os ingredientes sejam conservados. No início, os japoneses deitavam fora todo o arroz e comiam apenas o peixe, mas depois tiveram a ideia de servir os dois juntos em pequenas porções, e nasceu o sushi.

Pratos de origem chinesa

Embora lamen, yakisoba e gyoza sejam frequentemente associados à cozinha japonesa, foram criados na China. Mas mesmo no Japão, os menos atentos podem pensar que são uma iguaria local.

Isto porque durante e após a Segunda Guerra Mundial, o acesso aos campos de arroz do Japão foi dificultado. Durante muito tempo, a cozinha japonesa teve de depender do trigo, que foi importado em grandes quantidades. Assim, os alimentos preparados com trigo tornaram-se uma parte importante da cultura japonesa, incluindo o pão.

Arroz pegajoso

Um dos métodos mais embaraçosos de preparação de alimentos japoneses é o arroz. A forma brasileira de preparar o arroz é tradicionalmente “solta” e seca.

O arroz japonês, contudo, contém maiores quantidades de amido, e a ideia é precisamente que se torna mais “empapado” e “pegajoso” durante a preparação. O objetivo de o fazer desta forma é facilitar o seu apanhar com um pauzinho quando o comer.

Tenho certeza que alguns das coisas ditas aqui lhe deixou surpreso pois nem mesmo você sabia que está associado a culinária japonesa, esperamos que tenha gostado do conteúdo, em caso de dúvidas no escreva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *